All posts by: Fernando Moreno

About Fernando Moreno

8 Agosto, 2009

Vinícius: as palavras e a música

Como reagimos à perda de alguém que amamos, a uma vileza, a uma ameaça imprevista, a um reencontro inesperado?  Alguns de nós têm mais inteligência emocional, são mais capazes de perceber uma névoa que, de repente, ensombra os olhos do parceiro, de notar uma pergunta insólita, um impedimento súbito, como estarão mais atentos ao sorriso duma criança, […]

Cadernos
26 Julho, 2009

Amar o Mar

Olhamos o Mar e sabemos de tantas histórias de bravura anónima, aventura e tragédia, como reconhecemos a sua importância como actividade económica e de exaltação poética. A força viril para dominar ou iludir o seu poder. Como o Mar pode proporcionar um combate solitário de muitas horas para capturar um marlin a que se tem […]

Cadernos
10 Julho, 2009

Voz(es) deste Tempo

Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer; É um não querer mais que bem querer; É solitário andar por entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É cuidar que se ganha em se perder; É […]

Cadernos
4 Julho, 2009

Hipocrisias

Quando alguém, no cimo dum telhado olha para baixo, pode sentir uma vertigem. Esta é uma reacção normal. No entanto, há pessoas que, nas mesmas condições, apresentam manifestações de pânico. Para este facto contribuem vários factores, um deles a personalidade neurótica do indivíduo. Não parece que a hipocrisia seja comparável à fobia das alturas. Julgo […]

Cadernos
16 Junho, 2009

O Deserto Interior

Vemos jovens febrilmente comunicarem por telemóvel. As mensagens são crípticas, os símbolos da escrita estão abreviados. A oralidade ressente-se. A língua empobrece. Mas esta comunicação é apenas um sinal. Para os mais velhos, as imagens (seja qual o suporte) substituem o imaginário. Importante passou a ser a notícia, por boa ou má razão. De preferência […]

Cadernos
24 Abril, 2009

Sentir Lisboa

As cidades fazem parte da vida pessoas. Herdámo-las, modificamo-las, adaptamo-las às nossas necessidades. Desempenham funções críticas, consoante as suas dimensões. Porém, esses objectivos são frequentemente ignorados ou a sua concretização fica longe do possível. As cidades não são só amontoados de edifícios onde mora gente, com ruas e praças com nomes que evocam pessoas e factos […]

Cadernos
15 Abril, 2009

O amor possível

Este caderno utiliza quase exclusivamente quadros de nus de pintores famosos (p. ex. Modigliani, Dali, Picasso) e poemas em língua portuguesa (David Mourão-Ferreira, Eugénio de Andrade, Vinicius de Morais…), cuja escolha e ordenamento contam uma história, como se de uma montagem cinematográfica se tratasse. O esplendor do corpo da mulher, a sua fruição e a sua […]

Cadernos
11 Abril, 2009

Falsidades

Como é mentir, enganar, meses a fio, o parceiro, seja ele ou ela, sem um deslize, um indício? Ou eles existiam, mas passaram despercebidos? Resultado da usura do tempo? Como ir mantendo uma relação hipocritamente, como se nada se passasse? E preparar tudo meticulosamente para no momento adequado romper da forma economicamente mais vantajosa? Temos […]

Cadernos